Tuesday, 31 July 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

...e porque o Oceanus
também se recolhe sobre si mesmo...
o
o
...bons mergulhos!
o
o
oceanus

Monday, 30 July 2007

Sunday, 29 July 2007

onde guardas os pensamentos?

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Guardo todos os pensamentos
o
em esferas do Tempo
o
E no Tempo das esferas
o
todos os pensamentos
o
guardam os mistérios do mar...
o
o
hag

Saturday, 28 July 2007


oo
oo



No Dia Nacional
da Conservação da Natureza
e o Ano do Golfinho

Thursday, 26 July 2007

bicicleta





Bicicleta

Lá vai a bicicleta do poeta em direcção
ao símbolo, por um dia de verão
exemplar. De pulmões às costas e bico
no ar, o poeta pernalta dá à pata
nos pedais. Uma grande memória, os sinais
dos dias sobrenaturais e a história
secreta da bicicleta. O símbolo é simples.
Os êmbolos do coração ao ritmo dos pedais –
lá vai o poeta em direcção aos seus
sinais. Dá à pata
como os outros animais.


O sol é branco, as flores legítimas, o amor
confuso. A vida é para sempre tenebrosa.
Entre as rimas e o suor, aparece e desaparece
uma rosa. No dia de verão,violenta, a fantasia esquece. Entre
o nascimento e a morte, o movimento da rosa floresce
sabiamente. E a bicicleta ultrapassa
o milagre. O poeta aperta o volante e derrapa
no instante da graça.


De pulmões às costas, a vida é para sempre
tenebrosa. A pata do poeta
mal ousa pedalar. No meio do ar
distrai-se a flor perdida. A vida é curta.
Puta de vida subdesenvolvida.


O bico do poeta corre os pontos cardeais.
O sol é branco, o campo plano, a morte
certa. Não há sombra de sinais.
E o poeta dá à pata como os outros animais.



Se a noite cai agora sobre a rosa passada,
e o dia de verão se recolhe
ao seu nada, e a única direcção é a própria noite
achada? De pulmões às costas, a vida
é tenebrosa. Morte é transfiguração,
pela imagem de uma rosa. E o poeta pernalta
de rosa interior dá à pata nos pedais
da confusão do amor.
Pela noite secreta dos caminhos iguais,
O poeta dá à pata como os outros animais.


Se o sul é para trás e o norte é para o lado,
é para sempre a morte.
Agarrado ao volante e pulmões às costas
como um pneu furado,
o poeta pedala o coração transfigurado.
Na memória mais antiga a direcção da morte
é a mesma do amor. E o poeta,
afinal mais mortal do que os outros animais,
dá à pata nos pedais para um verão interior.


herberto helder

Wednesday, 25 July 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

O dia

Passa o dia contigo

Não deixes que te desviem
Um poema emerge tão jovem tão antigo
Que nem sabes desde quando em ti vivia



Sophia de Mello Breyner Andresen

Tuesday, 24 July 2007

AQUARELA (ORIGINAL) TOQUINHO

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo
Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva
E se faço chover com dois riscos tenho um guarda-chuva
Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel
Num instante imagino uma linda gaivota a voar no céu

Vai voando contornando
A imensa curva norte-sul
Vou com ela viajando
Havaí, Pequim ou Istambul
Pinto um barco a vela branco navegando
É tanto céu e mar num beijo azul
Entre as nuvens vem surgindo
Um lindo avião rosa e grená
Tudo em volta colorindo
Com suas luzes a piscar
Basta imaginar e ele está partindo
Sereno indo
E se a gente quiser
Ele vai pousar

Numa folha qualquer eu desenho um navio de partida
Com alguns bons amigos, bebendo de bem com a vida
De uma América à outra eu consigo passar num segundo
Giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo
Um menino caminha e caminhando chega no muro
E ali logo em frente a esperar pela gente o futuro está

E o futuro é uma astronave
Que tentamos pilotar
Não tem tempo nem piedade
Nem tem hora de chegar
Sem pedir licença muda nossa vida
E depois convida a rir ou chorar
Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos numa linda passarela
De uma aquarela que um dia enfim
Descolorirá

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
Que descolorirá
E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo
Que descolorirá
Giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo
Que descolorirá

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Onde guardas o Tempo?
o
No teu olhar...
o
No coração para amar...
o
No Silêncio...
o
Mas o Tempo já partiu para outro lugar.
o
o
hag

Sunday, 22 July 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


"Se a luz da Sabedoria Universal puder ser acesa,
será capaz de espalhar os seus raios luminosos
através do mundo inteiro,
estimulando o intelecto humano (...)
e despertando a alegria nos corações dos homens."

ooo
Comenius in "Via Lucis"

Friday, 20 July 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Não existe um caminho para a felicidade.
A felicidade é um caminho.
o
Gandhi
o

Thursday, 19 July 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Espalho muito devagar
as calmas ondas do meu mar
pelas duras pedras do caminho
o
hag
o
o
Oceanus
o

Wednesday, 18 July 2007

...sem oceano

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


colegial

Em cima da minha mesa,
Da minha mesa de estudo,
Mesa da minha tristeza
Em que, de noite e de dia,
Rasgo as folhas, leio tudo
Destes livros em que estudo,
E me estudo
(Eu já me estudo...)
E me estudo,
A mim,
Também,
Em cima da minha mesa.
Tenho o teu retrato, Mãe!
oJosé Régio
o
o

Tuesday, 17 July 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


"procurai sempre conjugar o divino
que há em vós
com o divino
que há no universo"
oooo
Plotino
ooo

Friday, 13 July 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



As nuvens fazem-nos pensar
para onde queremos voar
ooo
ooo
ISAG
oooo
poema de ISAG
ooo
ooo

vou no meu voo

.
Vou no meu voo
.
procurar as asas que perdi,
.
passarei tocando no tempo,
.
tentando não me ferir
.
ee agindo certo.
.
Sou um invasor do espaço,
.
perdi-me no tempo
.
mas dançei no Universo livremente
.
Adormeci no sol...
.
Acordei na lua...
.
Vivo no Azul.
.
Vou no meu voo
.
por aí!
.
.
hag
.
.
Oceanus










Wednesday, 11 July 2007

assim



"assim que confies em ti,
saberás como viver."

Goethe


Tuesday, 10 July 2007

...quase

Quase nada
.
Quase tudo
.
S e p a r a
.
o AMOR no mundo






ooo

O AMOR vive no teu coração

.
mostra-lhe o caminho
.
para
.
o mundo
.
pela tua mão
.
.
hag
.
.
Oceanus

Sunday, 8 July 2007

...outro mar

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


mar
.
De todos os cantos do mundo
.
Amo com um amor mais forte e mais profundo
.
Aquela praia extasiada e nua,
.
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.
.
.
Sophia de Mello Breyner Andresen
o
o
o

Friday, 6 July 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Passam por mim as nuvens de toda uma vida...
Passam e não passam...
Ficam suspensas

A pairar no ar
Esperam por uma única palavra...
A palavra certa,
Aquela que nunca chegará a tempo
De as salvar.

Ancoradas nas margens,
Baloiçam no tempo da minha alma,


Paradas ...
Cegas...


À espera que o tempo
Acabe por passar!


Oceanus

...uma viagem

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Uma Viagem de mil milhas
começa com um único passo.
...
.
.

Wednesday, 4 July 2007

...tinta fresca







as palavras
Nascem
Entre traços
De tinta fresca.

.
Crescem,
Nos caminhos
Já trilhados
Por outras
Letras.

.
As palavras
Saltam à corda,
E brincam,
Como crianças
Felizes,
Entre virgulas e pontos
E ás vezes com dois pontos
Até fazem uma canção.

.
As palavras,
Mergulham,
Os seus sublimes véus
Em corais de mistério.
E de madrugada,
Em silêncio,
Voam em todo o seu esplendor.

Guardando os seus segredos
No azul mais profundo do céu.

..

e os poemas?

nascem em telas de vida fresca?



.

hag

.


Oceanus


Tuesday, 3 July 2007

Monday, 2 July 2007

The lake isle of Innisfree




I will arise and go now, and go to Innisfree,
And a small cabin build there, of clay and wattles made:
Nine beans-rows will I have there, a hive for the honey-bee,
And live alone in the bee-loud glade.

And I shall have some peace there, for peace comes dropping slow,
Dropping from the veils of the morning to where the cricket sings;
There midnight’s all a glimmer, and noon a purple glow,
And evening full of the linnet’s wings.

I will arise and go now, for always night and day
I hear lake lapping with low sounds by the shore;
While I stand on the roadway, or on the pavements grey,
I hear it in the deep heart’s core.




A ilha do lago de Innesfree

Vou levantar-me agora, e partir para Innisfree,
E lá uma cabana construirei, com argila e canas:
Plantarei nove pés de feijão e haverá uma colmeia para as abelhas,
E viverei solitário entre o rumor das abelhas.

E terei alguma paz, porque a paz é como uma gota preguiçosa,
Desprendendo-se dos véus da manhã para onde o grilo canta;
Onde a meia-noite é apenas um vislumbre, e o meio-dia um brilho púrpura,
E o entardecer uma plenitude de asas cantantes.

Ergo-me e vou agora, para sempre noite e dia,
Eu escutarei as águas do lago lambendo a margem com sons suaves,
Enquanto eu fico na berma da estrada, ou no pavimento cinzento,
Escutarei esse som no mais fundo do coração.

W.B.Yeats

Sunday, 1 July 2007

... a crescer

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

O amor é a única coisa que cresce
quando se usa em abundância.


Richard Huch

#