Friday, 29 June 2007




oceanus de rosas
para aquela que,
hoje, no seio do oceanus,
renasce mais uma vez
Feliz Aniversário!!

mar de lazúli...




O MAR

Ó mar silencioso, mar de lazúli.
Eis-me enfeitiçado no teu abismo.
Estás vivo, respiras; de pensamento inquieto
e amor ansioso te insuflas, ó mar.
Ó mar silencioso, mar de lazúli,
abre-me o teu segredo mais profundo:
o que move o teu seio infinito?
Com que respira o teu peito tenso?
Talvez, de todo o jugo terrenal,
Te atraia o céu longínquo e claro?...
Cheio de vida misteriosa e branda
se, límpido, olhas o límpido céu:
corre em ti o seu azul luminoso,
ardem em ti sua aurora e ocaso,
afagas-lhe as nuvens de ouro e brilhas
alegre no brilho das suas estrelas.
Mas quando as nuvens negras conspiram
para roubar-te a visão do céu claro-
estrebuchas e uivas, levantas a crista
das ondas, rasgas a bruma adversa...
E vai-se a bruma, espantam-se as nuvens,
mas, tomado da recente inquietude,
ainda ergues ondas assustadas,
o brilho afável dos céus devolvidos
não te devolve a paz e o sossego;
é enganador teu espelho parado:
no abismo calmo escondes a ansiedade,
quando miras o céu tremes por ele.

Vassíli Jukóvski (1783-1852)

Tuesday, 26 June 2007

Sunday, 24 June 2007

...as palavras

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

as palavras amigas
murmuradas hoje,
podem dar frutos
amanhã.

Gandhi

Friday, 22 June 2007

iamdudum

iamdudum

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Abro

a janela,

ainda

adormecida,

para a fria manhã,

agora,

sem cor.

bato

as asas,



perdidas,

nas longas tardes

esquecidas,

só,

com dor.

dou

a vida,

sempre

esculpida,

no eterno azul,

una,

por amor.


hag



Thursday, 14 June 2007

...being

Thou shalt not separate thy being from BEING,
and the rest, but merge the Ocean in the drop,
the drop within the Ocean.



Não separarás o teu ser do SER,
e do resto, mas imergirás o Oceano na gota,
e a gota no Oceano.


H.P.Blavatsky
The voice of the silence

Wednesday, 13 June 2007

Fernando Pessoa


Não sei quantas almas tenho

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
ooo
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
ooo
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo : "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu

Fernando Pessoa



óleo de Costa Pinheiro
chapéu do poeta Fernando Pessoa,1979, óleo s/tela

Saturday, 9 June 2007

...bandos de asas

bandos de plumas
que em silêncio esgotam o mais profundo olhar,
.
bandos de asas
que flutuam na superficie mansa de um doce cantar,
.
bandos de sons
que sulcam o sublime espaço nas margens da terra.
.
.
.
bandos bandos bandos bandos bandos bandos somos nós
ooo



hag


Wednesday, 6 June 2007

azul profundo azul

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

azul profundo azul

Tuesday, 5 June 2007

...em silêncio

em silêncio em silêncio em silêncio


Em silêncio na terra,

percorres caminhos antigos,
.
Sombras esquecidas,
.
Momentos de ternura e vida.
.
Vidas de momento e ternura.
.
Luz de lembranças,
.
permaneces no agora distante.
.
Em gritos de mar.

.

.


hag

Friday, 1 June 2007

todas as crianças






Para um mundo melhor

for a better world

für eine bessere Welt
+++
pour un monde meilleur
***
***
***
crianças


дети


children


kinder





enfants


niños


bambini
子供
παιδιά


孩子
kinderen





oceanus